Delivery de encomendas

Da palma da mão à porta de casa, o delivery tem transformado o consumo em todo o mundo, o que foi ainda mais impulsionado a partir de março de 2020, com o início da pandemia da Covid-19, quando a população precisou ficar mais em casa devido a necessidade de isolamento social.

Até então, ao menos no Brasil, a experiência de boa parte das pessoas com delivery era praticamente uma exclusividade do setor de fast-food, com os motoboys entregando alimentos para consumo imediato: hambúrgueres, pizzas e demais tipos de refeições.

Leia também: Aplicativo de entregas: veja as vantagens para a sua empresa

No entanto, esse “novo normal” apresentou, como uma das principais transformações em relação ao comportamento do consumidor, o advento da Cultura Goods, ou seja, o delivery de mercadorias em geral, haja vista que as pessoas tiveram que passar a exercer sua experiência de compra de forma remota.

“Ir à shopping e loja física não é mais algo que surge naturalmente para mim, não é mais a primeira nem a segunda opção. E às vezes pode até ser mais rápido do que fazer um pedido online e aguardar chegar até sua casa”, destacou a servidora púbica Marcella Marconi, 39 anos, ao Jornal Correio, em matéria veiculada na segunda semana de outubro. Mas, para ela, o conforto do consumo digital aliado à possibilidade de se manter em isolamento social – e a força do hábito – são imbatíveis.

mulher recebendo um pacote

Delivery: Covid-19 antecipou uma tendência que já estava em andamento/Foto: RoseBox رز باکس/Unsplash

Delivery Goods: aumento das vendas online

Marcella é apenas um dos exemplos de baianos que passaram a receber seus produtos adquiridos no conforto do lar, sem a necessidade de se deslocar até a loja física. Um estudo do Sebrae realizado em junho deste ano revela que mais da metade das empresas da Bahia (64%) começaram a vender no formato online, sendo que 23% já faturam mais digital do que presencialmente.

Leia também: E-commerce cresce 41% no Brasil e vendas atingem R$ 87,4 bilhões em um ano

Você sabia?

Segundo o levantamento “A Transformação do Delivery Insights”, mais de 90% dos consumidores brasileiros que usaram o delivery durante a pandemia fizeram compras para alimentação, 85% para itens de farmácia e 78% para supermercado.

Para o analista de Negócios Inovadores do Sebrae, Tauan Reis, a Covid-19 antecipou uma tendência que já estava em andamento. “A pandemia impactou e acelerou a inovação tecnológica, a gente trouxe o futuro para o presente. O que é o delivery? Eu entregar meu produto ou serviço de forma mais rápida. Em vez do meu cliente vir até mim eu vou até ele. E sem perder qualidade, porque a qualidade é intrínseca ao negócio”.

O especialista listou dez dicas para os empresários que desejam ter um delivery de sucesso:

  1. Organize-se. Para ter um bom delivery você precisa de um planejamento muito bem pensado;
  2. Invista nos canais online. Para que as pessoas peçam no delivery, ele precisa chegar ao seu público-alvo: é importante alcançar os clientes pelos canais digitais (site, e-commerce, redes sociais, etc.);
  3. Compreenda o seu público e o seu nicho. Estabeleça o quanto você precisa vender para tornar seu negócio lucrativo. O resultado vai impactar diretamente na escolha do modelo de delivery ideal;
  4. Atenção com o seu estoque. Pode parecer que não tem ligação, mas o estoque, principalmente na área de alimentação, precisa ser muito bem feito. É importante comprar com qualidade e bons preços, mas também na quantidade certa e na hora certa para evitar perdas;
  5. Atente-se à atratividade. O pedido precisa chegar rápido e com qualidade. De preferência com custo baixo ou zero;
pacotes de delivery

Delivery Goods é ótima opção para você oferecer mais comodidade aos clientes/Foto: Leone Venter/Unsplash

  1. Veja a viabilidade de terceirizar. Geralmente, quem precisa vender mais necessita de uma rotatividade maior. Se você não tem uma grande estrutura, terceirizar o delivery para aplicativos, por exemplo, como a FreteFast, pode ser uma boa saída;
  2. Considere ter uma equipe própria. Caso o seu negócio tenha valor agregado e não exija um volume de vendas muito grande pode ser mais viável contar com uma equipe própria. Em especial se sua embalagem precisar de atenção por conta de temperatura, textura ou fragilidade do produto;
  3. Valorize a experiência do cliente. Não é só a venda pela venda. Desde que seu cliente acessou o aplicativo até a hora que ele abriu a encomenda ou recebeu o serviço, tudo faz parte da experiência dele. Ao final da entrega, considere fazer uma pesquisa de satisfação e esteja flexível a mudanças caso sejam construtivas;
  4. Acessibilidade é importante. Tem foto? Tem descrição? Tem valor claro? Adaptações são permitidas? Tudo isso pode fazer a diferença no momento da compra e, mais ainda, na fidelização
  5. Seja sempre honesto. As fotos e descrições precisam estar de acordo com a realidade do produto

Você tem um e-commerce (ou pretende abrir um) ou outro tipo de loja e precisa fazer entregas dos produtos aos clientes? Saiba que a FreteFast tem as melhores soluções para o seu negócio. Basta baixar o aplicativo e solicitar um entregador. Ah, e se cadastrar a sua empresa no nosso sistema ganha ainda benefícios exclusivos. Saiba mais.

Outros posts